Valverde vence, Kruijswijk faz o segundo, Nibali sobra!

De Bressanome a Andalo, duas pequenas cidades no norte da Itália com forte presença alemã, conhecidas pelas estações de esqui, uma etapa que surpreendeu a todos!

giro-16

Uma etapa curta com apenas 132km porém dura com 3 montanhas categorizadas muito particulares, a primeira uma longa escalada de 21km em Passo Della Mendola (Cat2), depois uma longa descida e uma escalada de 10km para Fai Della Paganella (Cat2) com até 20% de inclinação, uma pequena descida e a chegada a Andalo com uma curta subida de categoria 3.

 

T15_MadonnaDC_2_alt

 

Logo cedo as fugas matinais foram neutralizadas, na escalada a Passo Della Mendola passaram Lopez Garcia, Firsanov e Jungels, num grupeto de 5 ciclistas com 18″ de vantagem para o pelote. Após a descida, o grupo de fuga ficou com o camisa rosa Kruijswijk, Zakarin e Valverde, com poucos segundos atrás um grupo grande com Chaves e Jungels enquanto Nibal e Pozzovivo a 40″. Assim chegaram para subida final com Kruijswijk muito combativo, faltavam 5km para o final e o trio trabalhava muito para manter a liderança, ataque atrás de ataque dentro do grupo perseguidor fez Nibali sobrar.

Na chegada, Valverde e Kruijswijk sprintaram deixando Zakarin para trás, com 30″ o grupo com Chaves e Jungels e quase 2″ atrás Nibali/Pozzovivo.

Com o resultado, Kruijswijk consolida sua liderança com 3′ sobre Chaves e 3’23” sobre Valverde, com Nibali a 4’43” numa situação onde o grande favorito terá que trabalhar muito se quiser recuperar nas 5 etapas que restam!

Muita emoção nessa última semana de Giro 2016!CjOtPk2W0AIacL5

Classificação da Etapa:

giro-16c

Classificação da Camisa Rosa:

giro-16gc

Confira os melhores momentos da etapa:

 

IAM Cycling anuncia que fechará ao final da temporada!

A equipe IAM Cycling, formada em 2012 e que entrou para o pelote Pro-Tour já em 2013, anunciou pelas redes sociais que fecha as portas ao final da temporada.

CizeHxCWEAAhgrN

Já haviam rumores de uma possível fusão com a BMC para 2017, ao que tudo indica não foi possível. Fica nossa esperança que todos profissionais consigam espaço na temporada 2017, enquanto o ciclismo profissional não se reinventa e mantém um sistema muito duro de financiamento, já que toda receita de transmissão fica com os organizadores, as equipes dependem basicamente de bilionários entusiastas e grandes empresas, Oleg Tinkoff critica isso semanalmente e ameaça também sair do Pro-tour ao final da temporada.

Ciz7CKJWUAEDDk6

Você precisa estar disposto a encarar dor que outros nunca encarariam para ter sucesso que outros nunca terão.

 

iam

 

A equipe fundada por Michel Thétaz foi financiada pelo fundo de investimento IAMfunds desde o início, e veio pela própria palavra do fundador/mantenedor o atestado de óbito:

“IAM Cycling cessará operações ao fim da temporada 2016”

Michel Théfaz em memorando interno aos empregados da IAM Cycling.

 

IAM Cycling não participará de uma quinta temporada no pelotão profissional.

Após anos de competição como equipe profissional, incluindo dois anos no WorldTour, Michel Théfaz, fundador da equipe suiça de ciclismo, com profundo pesar anuncia a seus pilotos, gerentes, diretores esportivos e empregados dessa bela aventura que começou em janeiro de 2013, esta chegando a seu final.

Essa é uma falha pela qual assumo total responsabilidade. Nesses quatro anos de atividade intensa, que vem sendo marcados por memórias inesquecíveis, IAM tem aumentado sua credibilidade e visibilidade. Nós chegamos ao momento chave na evolução da equipe de entrada num novo ciclo de três anos, contudo isso provou ser uma empreitada impossível para a IAM Cycling desde que falhamos em conseguir um co-patrocinador, e consequentemente não conseguiremos continuar nosso progresso ao topo da hierarquia esportiva. Foi impensável considerar retornar a níveis menote de competição, ou talvez nos subordinar a uma das grandes equipes com verba de 12 milhões de euros. Sem duvida eu sinto pesar nessa situação, mas eu prefiro regojizar no que conquistamos pelos quatro anos que passaram.

 

 

 

Tinha que ser o Chaves!

Hoje o Giro 2016 em sua 14ª parte de Alpago, na região do Venetto, um dos berços da civilização humana, datada do período da era do ferro, essa pequena cidade de 10.000 habitantes separa a região de Treviso do Veneto aos pés das Dolomitas que foram escaladas ao longo do dia, por 210km passando por famosas estações de esqui o Giro segue a Corvara, uma minúscula cidade no alto Trentino.

passo sella

A etapa de ontem foi dura? Foi, mas a de hoje judiou demais do pelotão!

Com uma subida de primeira categoria de 70km logo de cara, da pra ver como a etapa é bruta, além de Passo Pordoi, temos Passou Gau em categoria 1 também, Passo Sella, Passo Campolongo e Passo Valparola em categoria 2 e Passo Gardena em categoria 3, totalizando 4.700m de escalada.

É a etapa Rainha do Giro 2016.

T15_MadonnaDC_2_alt

Passo Sella é a montanha Pantani do Giro, que relembra o épico momento de 1998 em que Pantani assumiu a camisa rosa:

Logo pela manhã na fuga matinal, o grupo que luta pela camisa azul de montanha se destacou, Cunego, Denifl, Lopez Garcia levaram a primeira meta em Passo Pordol com 7′ para o pelote, já em Passo Sella vimos Lopez Garcia, Roche e Atapuma levar a meta, aumentando a vantagem para 8′ sobre o pelote.

Chegando no Passo Gardena (cat3), meta vencida por Plaza Molina, Lopez Garcia e De La Cruz, com 9′ para o pelote. No Km130 Ryder Hesjedal abandonou a prova.

Na meta de Passo Campolongo (cat2), mais uma vez Plaza Molina, Lopez e Atapuma mantendo 9′ para o pelote levaram a meta, faltavam 75km para o final, o pelote quebrou todo e um grupo de perseguição se formou tendo o camisa rosa Andrey Amador no grupo.

Ai veio a subida de Passo Giau, a meta foi vencida por Atapuma, Siutsou e Preidler, que viram a vantagem cair para 4′, mas o importante aconteceu na escalada, Amador sobrou e Nibali atacou, foi seguido por Chavez e Kruijswijk enquanto Valverde mostrava dificuldades e sobrou com o restante dos perseguidores.

No Passo de Valparola, Atapuma, Siutsou e Preidler levaram a meta e já tinham no seu encalço Chaves e Kruijswijk, Atapuma atacou solo faltando 11km e seguiu perdendo pouco a pouco sua vantagem até que com 2km para o final foi alcançado pelo trio formado por Kruijswijk, Chaves e Preidler, seguiram puxando até o final onde Chaves venceu no sprint com Kruijswijk em segundo e Preidler em terceiro, Nibali seguiu solo até encontrar a pouco do final Siutsou com quem revezou e fez um grande resultado na luta pela camisa rosa.

giro-chaves

 

Classificação da Etapa:

giro-14c

Classificação da camisa rosa, se tudo indicava o favoritismo de Nibali, agora ainda mais, com 2’18” de vantagem sobre Valverde, já da para dizer que será difícil bater o Tubarão de Messina!

giro-14gc

 

Confira o vídeo com os melhores momentos da etapa:

 

 

Mikel Nieve vence, Amador é Camisa Rosa!

Hoje o Giro de Italia em sua 13ª Etapa partiu de uma das primeiras cidades planejadas da Europa, Palmanova, uma cidade construída na renascença, cujo planejamento urbano era resistir aos ataques otomanos, que representava o máximo em qualidade de vida.

foto_palmanova_018

A etapa percorreu então 170km para Cividale del Friuli, passando por quatro montanhas categorizadas, Montemaggiore, Crai, Cima Porzus e Valle.

Uma etapa bem dura, prenuncio do que vem pela frente nas etapas de alta montanha deste Giro 2016.

nieve

Logo cedo um grupo grande de ciclistas imprimiu a fuga e dentre eles estava Mikel Nieve, na primeira passagem de montanha, estava Stefan Denifl, Giovani Visconti, Cunego, De Marchi e Clarke, tinham 2′ para o pelote. Na segunda meta de montana, novamente Denifl levou a meta seguido por Cunego, Visconti e  Battaglin, a vantagem era de 4’para o pelote. Na meta de sprint no KM130, Battaglin levou os pontos. Faltando 35km para o final Mikel Nieve assumiu a liderança e escalou a Cima Porzus abrindo uma diferença perto de 1′ para Viconti e Dombrowski que o perseguiam.  Na descida da ultima montanha do dia, o grupo perseguidor com os principais candidatos a camisa rosa ficou se estudando e abriu mão da prova, as dificuldades encontradas por Bob Jungels nas subidas eram a certeza que a camisa rosa mudaria de mãos, Andrey Amador chegou junto com o grupo que teve até sprint de Nibali x Valverde para buscar 2s de bônus e Nibali venceu.

Chegaram então na etapa:

giro-13c

Classificação Camisa Rosa:

giro-13gc

 

Logo mais os melhores momentos da etapa.

Greipel vence e abandona o Giro!

Hoje em sua 12ª Etapa o Giro foi de Noale a Bibione na grande Veneza no Veneto,  norte da Itália.

Noale, sede da fabrica de motocicletas Aprilia e com a fortaleza Rocca di Tempesta que por séculos fora intransponível, abrigando a nobreza de Rocca. Bibione que desde 1994 não recebia uma etapa do Giro, a pequena cidade litorânea que desde 1950 investe no turismo e possui spas e resorts muito procurados no verão europeu na grande Veneza.

Rescaldos, ontem após a etapa um fato curioso ocorreu, Nibali reclamou publicamente de Valverde não atacar.. Amador! Tudo aconteceu na descida de Forcella Monstaccin, Nibali queria revezar para diminuir a distância para a fuga que tinha Jungels e Amador, Valverde ficou de roda e Esteban Chavez (Orica) não quis revezar, mesmo com Nibali sinalizando, e após a chegada o mimimi do italiano seguiu provocando os rivais:

“Quando você tem a chance, é certo ir pra cima e tentar movimentos surpresa e contra ataques. Isso é corrida! Mas isso não funcionou hoje, se tivesse poderíamos ter ganho 30, 40″ que poderiam ser realmente importantes para a classificação geral. Eu disse a ele (Valverde) para trabalhar e ele só me disse: – não, não!”

Hoje a etapa plana como mesa de bilhar parecia ser um dia fácil para recuperação do pelotão após duas etapas complicadas com muitos ficando no limite da eliminação por tempo, a dificuldade ficava para a chegada em Bibione onde curvas de 90º e ruas estreitas eram um prato cheio para uma queda.

O tempo ruim com chuva, frio e vento dificultou o trabalho das equipes. Logo pela manhã nas tentativas de fuga matinais Matteo Trentin e Daniel Oss fugiram, depois Battistrada se juntou e chegaram abrir quase 3′ para o pelote, durante a etapa em muitos momentos vimos os ciclistas vestirem e tirarem jaquetas de chuva, no fim o pelote cozinhou a fuga até alcançar e foram para o sprint.

 

sprint

Na segunda volta em Bibione, a Lotto mostrou a performance das ultimas etapas colocando precisamente Greipel para mais um sprint monstrouso, Caleb Ewan da Orica ficou em segundo seguido de Nizzolo (Trek) e Modolo (Lampre). Greipel conquistou sua 20ª vitória em Grand Tour na carreira.

A surpresa fica pelo anúncio de saída do Giro por Greipel que declarou:

“Minha temporada é cheia de objetivos e sem dúvidas não estou contente em abandonar o Giro com a camisa vermelha. Eu sou um ser humano, não uma maquina e preciso me recuperar disso, que foi mental e fisicamente duro  por doze dias.”

Como agora o Giro segue para fase final em alta montanha, seria muito custoso aos sprinters completar a prova só em busca da camisa vermelha, o Tour de France falou mais alto.

greipel

A classificação geral permanece inalterada com Jungels mantendo 24′ sobre Amador e 1’07 sobre Valverde e Kuijswik (Tinkoff).

Classificação da Etapa 12

Classificação Geral – Camisa Rosa

giro12-gc

 

Logo mais voltamos com os melhores momentos da etapa.

1 2 3 33